Divertida Mente

por Alice Lapertosa

A Alegria esteve com Riley desde que a menina nasceu. Foram somente as duas por… trinta e três segundos. Riley começa a chorar, e surge a Tristeza. Alegria nunca entendeu pra quê ela servia, mas descobriu que não dava para mandá-la embora. Logo em seguida, vieram a Nojinho, o Raiva e o Medo. Apesar da sala de comando ficar uma bagunça com tantas emoções, a maioria das memórias de Riley são alegres.

Algumas dessas memórias se tornam bases para a construção das Ilhas da Personalidade: no cérebro de Riley tem a Ilha da Família, a Ilha dos Amigos, a Ilha do Hóquei e a Ilha da Bobeira. Mas toda essa estrutura é ameaçada quando os Pais resolvem se mudar para São Francisco. Riley tem que deixar para trás sua casa antiga, os amigos e o time de hóquei. Ela se sente acuada na nova escola onde não conhece ninguém; a pizzaria do bairro só vende um sabor horrível e a nova casa é feia e desconfortável. Pra completar, o caminhão de mudanças se atrasou e Riley ficou sem nenhuma das coisas que lhe eram familiares.

Exatamente no meio de toda essa turbulência, Alegria e Tristeza se envolvem num acidente que as atira bem longe da sala de comando, deixando Riley sozinha com os desorientados Medo, Raiva e Nojinho. Juntos, eles precisam dar um jeito na crise que a mudança provocou na menina – que agora só é capaz de reagir com três emoções. Longe deles, Alegria e Tristeza tentam retornar. Elas percorrem a mente de Riley, passando pelo enorme labirinto-biblioteca de memórias, pela Sala da Imaginação e pelo Estúdio de produção de sonhos.

Há uma gama de conceitos psicológicos mais complexos que chegam ao público ilustrados pelos personagens engraçadinhos (cada um com características visuais e personalidade própria) e pelo mundo colorido da mente de Riley.

Vale chamar a atenção para as conseqüências das mudanças na psique – tudo depende, afinal, de como você sente e reage às coisas – e ao processo de amadurecimento: no início, as memórias são simples, dominadas por apenas uma das emoções. Riley é uma menina alegre que reage positivamente em quase todas as situações. Alegria é quem gerencia a central de comando. Conforme Riley vai aprendendo a lidar com as novas situações nem sempre agradáveis, suas memórias tornam-se multicoloridas. E Alegria finalmente descobre a função da Tristeza.

8/10

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s