Divertida Mente

por Alice Lapertosa

A Alegria esteve com Riley desde que a menina nasceu. Foram somente as duas por… trinta e três segundos. Riley começa a chorar, e surge a Tristeza. Alegria nunca entendeu pra quê ela servia, mas descobriu que não dava para mandá-la embora. Logo em seguida, vieram a Nojinho, o Raiva e o Medo. Apesar da sala de comando ficar uma bagunça com tantas emoções, a maioria das memórias de Riley são alegres.

Algumas dessas memórias se tornam bases para a construção das Ilhas da Personalidade: no cérebro de Riley tem a Ilha da Família, a Ilha dos Amigos, a Ilha do Hóquei e a Ilha da Bobeira. Mas toda essa estrutura é ameaçada quando os Pais resolvem se mudar para São Francisco. Riley tem que deixar para trás sua casa antiga, os amigos e o time de hóquei. Ela se sente acuada na nova escola onde não conhece ninguém; a pizzaria do bairro só vende um sabor horrível e a nova casa é feia e desconfortável. Pra completar, o caminhão de mudanças se atrasou e Riley ficou sem nenhuma das coisas que lhe eram familiares.

Exatamente no meio de toda essa turbulência, Alegria e Tristeza se envolvem num acidente que as atira bem longe da sala de comando, deixando Riley sozinha com os desorientados Medo, Raiva e Nojinho. Juntos, eles precisam dar um jeito na crise que a mudança provocou na menina – que agora só é capaz de reagir com três emoções. Longe deles, Alegria e Tristeza tentam retornar. Elas percorrem a mente de Riley, passando pelo enorme labirinto-biblioteca de memórias, pela Sala da Imaginação e pelo Estúdio de produção de sonhos.

Há uma gama de conceitos psicológicos mais complexos que chegam ao público ilustrados pelos personagens engraçadinhos (cada um com características visuais e personalidade própria) e pelo mundo colorido da mente de Riley.

Vale chamar a atenção para as conseqüências das mudanças na psique – tudo depende, afinal, de como você sente e reage às coisas – e ao processo de amadurecimento: no início, as memórias são simples, dominadas por apenas uma das emoções. Riley é uma menina alegre que reage positivamente em quase todas as situações. Alegria é quem gerencia a central de comando. Conforme Riley vai aprendendo a lidar com as novas situações nem sempre agradáveis, suas memórias tornam-se multicoloridas. E Alegria finalmente descobre a função da Tristeza.

8/10

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros

Diante dos primeiros acordes do famoso tema composto por John Williams, 20 anos atrás. Abrem-se os novos portões de Jurassick Park.

Anos após os eventos desastrosos ocorridos em “Jurassick Park” (1993) o lugar foi reaberto ao público, e sob nova direção. Com o advento da tecnologia foi possível implantar chips de controle nos dinossauros, para que eles não fujam do controle. Contudo, diante da cobiça humana por novidades maiores e melhores – e no caso dos dinossauros-, mas assustadoras. Um novo dinossauro geneticamente modificado foi criado: mais forte, inteligente, agiu e veloz. Que trará problemas imensos para os visitantes do park, assim como a equipe que controla. Cabe aos protagonistas Owen (Chris Pratt) e Claire (Bryce Dallas Howard) controlar a situação para que os eventos não se repitam o que é óbvio, não vai funcionar.

Continuar a ler

A Espiã que Sabia de Menos

Por Alice Lapertosa

Susan Cooper (Melissa McCarthy) é uma analista feia, gorda e desajeitada da CIA. Assim como nos é apresentada a personagem principal, é apresentado o restante do filme: não se prende ao maçante exagero do politicamente correto que vivenciamos hoje em dia, faz graça com tudo e, se alguém se incomodar, que compre um espelho.

Continuar a ler

A Incrível História de Adaline

Se você já leu O Retrato de Doryan Gray e gostou, provavelmente vai amar esse filme. Ele não se aprofunda tanto na questão filosófica que o livro citado, mas é um romance de época bem ambientado e que vale a pena dar pelo menos uma chance. Se você gostou de “O curioso caso de Benjamin Button”, provavelmente gostará deste filme também. Continuar a ler

Crimes Ocultos

Por Alice Lapertosa

Leo Demidov é um agente da MGB (Agência de Inteligência Soviética durante o período do governo Stalin) que se depara com a morte mal explicada do filho de seu colega Alexei. O governo diz que foi acidente, porém a autópsia e uma testemunha parecem mostrar o contrário. Em meio à ameaça da própria Agência – que insiste no esquecimento do caso (“Não existem crimes no Paraíso”, “Assassinato é uma doença específica do capitalismo”) e a denúncia de que uma das pessoas próximas de Leo seria na verdade um espião do ocidente, Leo decide investigar a morte, que revela-se não o primeiro, mas um dos muitos “acidentes” ocorridos sob circunstâncias semelhantes.

Continuar a ler

Mad Max: Estrada da Fúria

Após longos anos de espera, desde o não tão bom assim Mad Max – Além da Cúpula do Trovão (1985), George Miller resolveu tirar férias do caótico mundo de Mad Max, para o acolhedor mundo das comédias, mas Miller percebeu aos 70 e poucos anos, que o sangue com gasolina ainda corre nas suas veias.

Continuar a ler

O Franco-Atirador

por Alice Lapertosa

Jim Terrier (Sean Pean) faz seu último trabalho como assassino de aluguel. Após matar o Ministro das Minas na República do Congo, seu contrato o obriga a deixar o país. Oito anos depois, de volta, Jim tem uma vida nova: surfa todas as manhãs para depois se juntar a um acampamento que presta serviços aos refugiados. Deixou o passado para trás, a vida dupla de matador e a mulher que amava, Annie (Jasmine Trinca). Continuar a ler