Anomalisa

anomalisa-098_0Por Alice Lapertosa

Há alguns anos atrás surgiu na área de pesquisa em animação digital um fenômeno curioso: o avanço de recursos permitiu aos desenvolvedores criar bonecos extremamente semelhantes ao ser humano, com movimento, textura de pele e expressões faciais. Isso criou um mal estar generalizado, pois não eram mais claramente desenhos ou apenas bonecos. De fato, pareciam protótipos bizarros de pessoas mecanizadas. Essa é a impressão – proposital – que causam os personagens de “Anomalisa”, ressaltada pela linha que corta seus rostos na altura dos olhos e desce lateralmente pela mandíbula, evocando visualmente máscaras sob os rostos. Quando enfileirados em mesas de escritório, parecem robôs numa linha de montagem.

Continuar a ler

Irmãs

1920x1920Por Alice Lapertosa

Velhas conhecidas – as atrizes vêm do Saturday Night Live e apresentaram o Globo de Ouro por três anos -, Amy Poehler e Tina Fey juntam-se numa comédia que fala sobre festas, bebidas, (ir)responsabilidade e quarentões. Isso mesmo, ao invés de serem os estraga-prazeres da festa, a meia idade é a causa dela.

Continuar a ler

Joy: O Nome do Sucesso

Por Alice Lapertosa

Desde pequena, Joy (Jennifer Lawrence) gostava de inventar e consertar coisas. Já adulta e com dois filhos, ela toma conta da família excêntrica e desajustada: o ex-marido Tony (Édgar Ramírez), um eterno aspirante a cantor venezuelano que mora no porão da casa da ex-mulher; a mãe Terry (Virginia Madsen), que passa o dia todo vendo TV e não suporta que homens pisem no quarto; e o pai Rudy (Robert DeNiro), namorador que vive tendo problemas com os affairs e recorrendo à antiga família.

Continuar a ler

A 5ª Onda

Por Alice Lapertosa

Filmes adolescentes são feitos para um determinado público que, em geral, imagina-se estar num estado confuso, egocêntrico (quem está começando a se descobrir raramente consegue olhar pra si e para os outros com certo discernimento). Nós adultos muitas vezes falhamos ao criticar os problema fúteis e a linguagem simplista de tais produtos voltados para essa faixa etária, esquecendo que a maioria de nós já esteve lá. O que de forma nenhuma implica na necessidade de se fazer algo vazio e repetitivo.

Continuar a ler

A Grande Aposta

Por Alice Lapertosa

“A Grande Aposta” é um dos filmes mais complicados que já assisti. Encorajador, né? Também é um dos mais inteligentes. Então a menos que você trabalhe em Wall Street, seja um expert em economia e/ou pesquisador-abutre de crises financeiras, aconselho umas horinhas de pesquisa no Google (divirta-se!) ou assistir do lado de um coleguinha paciente que seja bem mais informado sobre o assunto que você (eu escolhi a segunda opção). É sério. Você vai querer se preparar para esse filme. Vamos lá?

Continuar a ler

Steve Jobs


Por Alice Lapertosa

Quando interpretou o fundador da Apple em 2013, Ashton Kutcher impressionou pela semelhança física entre ambos. O Jobs de Michael Fassbender impressiona por outro tipo de semelhança, mais sutil: alguma coisa no ritmo da fala, do olhar. Do corpo magro enfiado na camisa preta de manga comprida e gola rolê, os óculos redondos de aro fino, seu jeito de andar, de parar. Kate Winslet está intrigante como a diretora de marketing Joanna Hoffman, uma profissional competente e necessariamente dura que também possui a capacidade de empatia da qual Jobs era totalmente desprovido. O resto do elenco também não faz feio: Seth Rogen como o co-fundador Steve Wozniak; Michael Stuhlobarg como o engenheiro Andy Hetzfield; e Jeff Daniels no papel do ex-CEO John Sculley.

Diante do excelente trabalho de atuação do elenco, ao sair do cinema, a sensação é de ter visto um filme ruim. Por quê?

Continuar a ler

Creed: Nascido Para Lutar


Por Alice Lapertosa

Um órfão problemático que se mete em brigas é resgatado por uma boa alma rica que tem alguma relação conflitante com seu passado. O garoto cresce e quer se tornar bom em algo. Ele então convence o campeão anterior – que não mais exerce a atividade – a ajudá-lo. Nesse meio tempo, arranja também uma namorada/peguete/etc que tem suas próprias limitações que a impedem de alcançar seu sonho. Ele tenta ajudá-la, mas discutem a certa altura do roteiro. E, pra piorar, o mentor está com sérios problemas que tenta esconder mas falha miseravelmente. Se parece com algum ou milhares de filmes que você já assistiu?

Continuar a ler